Bauhaus: uma pedagogia para o design

Sônia Marques Antunes Ribeiro, Carolina Amorim Lourenço

Resumo


A Bauhaus foi uma Escola de Artes e Ofícios que surgiu na Alemanha em 1919. Foi pioneira ao sistematizar uma metodologia para o ensino do design e, ainda, ao buscar a relação entre artesãos, arte e indústria. Fechada pelos Nazistas, em 1933, suas idéias vão se perpetuar nos Estados Unidos com a imigração de alguns professores, tornado-se referência para o ensino do design contemporâneo.

Palavras-chave


Bauhaus, design, pedagogia

Texto completo:

PDF

Referências


ARGAN, Giulio Carlo. Arte moderna. Tradução de Denise Bottmann e Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

ARGAN, Giulio Carlo. Walter Gropius e a Bauhaus. Tradução de Joana Angélica d’Ávila Melo. Rio de Janeiro: José Olympio, 2005.

CHILVERS, Ian. The concise Oxford dictionairy of art and artists. 2. ed. Great Britain: Oxford University Press.

DROSTE, Magdalena. Bauhaus: 1919 - 1933. Tradução Casa das Línguas Ltda. Berlim: Bauhaus-Archiv Museum Für Gestaltung, 2006.

EVANGELISTI, Silvia. O impressionismo. In: SPROCCATTI, Sandro (dir.). Guia de história da arte. 4. ed. Tradução de Maria Jorge Vilar de Figueiredo. Lisboa: Editorial Presença. 1999.

GROPIUS, Walter. Bauhaus: nova arquitetura. São Paulo: Perspectiva S. A, 1972.

HIRDINA, Heinz. Gestalten für die Serie. Design in der DDR 1949-1985. Dresden: Verlag der Kunst, 1988 apud BURDEK Bernhard E. Design: history, theory and practice of product design. Translations Meredith Dale, Susan Richter, Nina Hausmann. Basel: Birkhäuser, 2005, p. 15.Disponível em <http://www.amazon.co.uk/Design-History-Theory-Practice-Product/dp/3764370297#reader_3764370297>. Acesso em 20 ago. 2011.

ITTEN, Johannes. Design and form: the basic course at the Bauhaus. Translation John Maass. Third printing. New York: Reinhold Publishing Corporation, 1966.

KANDISNKY, Wassily. Curso da Bauhaus. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

KANDISNKY, Wassily. Ponto e linha sobre plano. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

KLEE, Paul. Pedagogical sketchbook. Translation Sybil Moholy-Nagy. London: Faber and Faber. 1968.

LUPTON, Ellen.; MILLER, J. Abbot. El abc de   O: la Bauhaus y la teoria del diseño. In: LUPTON, Ellen.; MILLER, J. Abbot. (eds). El abc de   O: la Bauhaus y la teoria del diseño. Versión castellana de Emili Olcina i Aya. Barcelona: Gustavo Gili S. A. 1994. p. 2-21.

MORAES, Dijon. Limites do design. São Paulo: Studio Nobel. 1997.

MOHOLY-NAGY, László. La nueva visión y reseña de un artista. Versión castellana por Brenda L Kenny. Buenos Aires: Ediciones Infinito. 1963.

PEVSNER, Nikolaus. Os pioneiros do desenho moderno: de William Morris a Walter Gropius. 3. ed. Tradução de João Paulo Monteiro. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

PEVSNER, Nikolaus. Origens da arquitetura moderna e do design. 3. ed. Tradução de Luiz Raul Machado. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

SPROCCATTI, Sandro. O abstracionismo. In: SPROCCATTI, Sandro (dir.). Guia de história da arte. 4. ed. Tradução de Maria Jorge Vilar de Figueiredo. Lisboa: Editorial Presença. 1999.

WICK, Rainer. Pedagogia da Bauhaus. Tradução de João Azenha Jr. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

WINGLER, H. M. La Bauhaus: 1919 - 1933 Weimar - Dessau - Berlin. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 1962.




DOI: https://doi.org/10.35522/eed.v20i1.87

Apontamentos

  • Não há apontamentos.