Contribuições do Design para o bem estar social: o Programa CASOS-Catadores de Sonhos

Glaucinei Rodrigues Corrêa, Jameny Sarmiento, Wilton Duarte Pereira

Resumo


Este artigo tem como propósito apresentar o Programa de extensão CASOS: Catadores de Sonhos, o qual desenvolveu ações com o objetivo de promover a inclusão socioeconômica de catadores e de artesãs a partir de dois projetos: Projeto Design Reciclado, com catadores e o Projeto Oficinas Design, com artesãs. Os procedimentos metodológicos utilizados tiveram como direcionamento a participação ativa dos catadores, artesãs e alunos bolsistas na concepção, cooperação e integração de métodos e instrumentos que envolveram todo o Programa. A relação que norteou as atividades desse Programa foi aquela fundada na proximidade entre os sujeitos, uma relação dialógica, concebida a partir do respeito e do reconhecimento mútuo. Como contribuições destaca-se reflexões para a área do design e trabalhos futuros como a necessidade de compreender o grupo ou instituição em todo seu contexto; a importância de entender a complexidade das ações do projeto, as quais podem extrapolar a área do design; a baixa autoestima dos catadores, que merece cuidado e atenção; e a necessidade de se planejar atividades a longo prazo para promover a autonomia desses grupos ou instituições. 


Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Renata Mattos Eyer de. Um olhar sobre o design social e a prática do design em parceria. In: Ecovisões projetuais: pesquisas em design e sustentabilidade no Brasil [livro eletrônico]. Organização Alfredo Jefferson de Oliveira, Carlo Franzato, Chiara Del Gaudio. São Paulo: Blucher, 2017. Disponível em:

ARRUDA, Marcos. Situando a economia solidária. In: Economia Solidária: desafios para um novo tempo. Cadernos FLEM, n.5, Salvador, 2003, p. 1932.

BARROSO NETO, Eduardo. Design, Identidade, Cultura e Artesanato. In: JORNADA IBEROAMERICANA DE DESIGN NO ARTESANATO, 1, 1999. Anais. Disponível em: .

BONSIEPE, Gui. Identidade e contra-identidade do design. Cadernos de Estudos Avançados em Design – Identidade. Barbacena, UEMG, p. 63-75, 2010.

BONSIEPE, Gui. Tendências e antitendências no design. Cadernos de Estudos Avançados em Design - Humanismo. Barbacena, Ed.UEMG, p. 61-69, 2013.

BORGES, Adélia. A intervenção do design no produto de artesanato. In: SEMINÁRIO ARTESANATO: INTERVENÇÕES E MERCADOS (CAMINHOS POSSÍVEIS). Centro de Negócios de São Paulo, 25 de out. 2006. Anais...São Paulo: Artesanato Solidário/Artesol; SEBRAE, 2006. Disponível em: .

BROWN, Tim. Design Thinking – Uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

CORRÊA, Glaucinei Rodrigues; CASTRO, Maria Luiza A. C. O pensamento complexo de Edgar Morin e o design. Revista Estudos em Design (online). Rio de Janeiro, v. 21, n 1, p. 115, 2013.

KOTLER, P.; ARMSTRONG, G. Princípios de Marketing. Rio de Janeiro: Prentice Hall do Brasil, 1993.

LAVE, Jean; PACKER, Martin. Towards a social ontology of learning. In: NIELSEN, K. et al. A qualitative stance: essays in honor of Steinar Kvale. Oxford: Aarhus Universitetsforlag, 2008.

LAVE, Jean; WENGER, Etienne. Situated learning: legitimate peripheral participation. New York: Cambridge University Press, 1991.

MORAES, Juliane Castilho; CAVALCANTE, Ana Luisa Boavista Lustosa. Estudos iconográficos para a valorização do artesanato de Londrina e região. Projética Revista Científica de Design. Londrina, v.3, n.1, jul. 2012.

MUGGIATI, Roberto. Improvisando Soluções. Rio de Janeiro: BestSeller, 2008.

SAKAMOTO, Cleusa Kazue. Criatividade: uma visão integradora. Revista Psicologia: Teoria e Prática. São Paulo, v. 2, n.1, p. 50-58, 2000.

STRAUB, Ericson; CASTILHO, Marcelo. Conexões: como designers conectam experiência, intuição e processo em seus projetos. Curitiba: Infolio, 2010.

THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa-Ação. São Paulo: Cortez, 1986.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.