O papel dos gestos na interação designer-usuário

Louise Clarissa Vendramini, Adriano Heemann

Resumo


A colaboração entre designers e usuários durante o desenvolvimento de projetos é considerada pela literatura como essencial para melhorar a compreensão sobre os requisitos dos consumidores. O design colaborativo, por sua vez, está intimamente ligado à interação e comunicação entre pessoas. Apesar do amplo reconhecimento da importância da comunicação, identifica-se uma lacuna na literatura acerca do entendimento da linguagem não verbal. Por meio de um estudo de caso que classificou os gestos segundo suas funções e subfunções comunicativas, este artigo tem como objetivo contribuir com o preenchimento da lacuna identificada, descrevendo o papel dos gestos durante uma interação colaborativa entre designer e usuários durante o desenvolvimento de um refrigerador e sugerir possíveis contribuições dessa linguagem para o design colaborativo. Ao final do estudo conclui-se que os gestos podem (i) reduzir a complexidade das interações e; (ii) fornecer informações adicionais à fala que tradicionalmente não são incorporadas aos projetos. 


Palavras-chave


Comunicação não verbal, gestos, design centrado no usuário, design colaborativo

Texto completo:

PDF

Referências


(a) VENDRAMINI, L. C.; HEEMANN, A. Design colaborativo: categorias de colaboração e implicações na comunicação. In Anais do 5o GAMPI Plural. Joinville, 2015. p. 189-198.

(b) VENDRAMINI, L. C.; HEEMANN, A. A comunicação no design colaborativo: contribuições teóricas para impulsionar a inovação. In Anais do IV IDEMi. Florianópolis, 2015. p. 1089-1102.

AMADO, Gilles.; GUITTET, André. A dinâmica da comunicação nos grupos. 2a ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982.

BEHOORA, I.; TUCKER, C. S. Machine learning classification of design teams’ body language patterns for real time emotional state detection. Design Studies, 39(C), 2015. p. 100-127.

BIRDWHISTELL, Ray. L. Kinesics and context: essays on body motion communication. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1970.

CASSELL, J.; MCNEILL, D. Gesture and the poetics of prose. Poetics Today, 12(3), 1991. p. 375-404.

DAVIS, Flora. Comunicação não-verbal. São Paulo: Summus, 1979.

ELLIS, C. A.; GIBBS, S. J.; REIN, G. Groupware: some issues and experiences. Communications of the ACM, 34(1), 1991. p. 39–58.

FONTANA, I. M.; HEEMANN, A.; FERREIRA, M. G. G. Design colaborativo: fatores críticos para o sucesso do co-design. In Anais do 4o Congresso Sulamericano de Design de Interação. São Paulo, 2012. p. 371-382.

FUKS, H.; RAPOSO, A. B.; GEROSA, M. A. Do modelo de colaboração 3C à Engenharia de Groupware. In Simpósio Brasileiro de Sistemas Multimídia e Web. Salvador, 2003. p. 445-452.

GRAHAM, J. A.; ARGYLE, M. A cross-cultural study of the communication of extra-verbal meaning by gestures. International Journal of Psychology, 10(1), 1975. p. 57-67.

HEEMANN, A.; LIMA, P. J. V.; CORRÊA, J. S. Fundamentos para o alcance da colaboração em design. In Anais do 8o Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. São Paulo, 2008. p. 1338-1349.

KENDON, A. Language and gesture: unity or duality? In Language and Gesture. Cambridge: Cambridge University Press, 2000.

KLEINSMANN, M.; VALKENBURG, R. Barriers and enablers for creating shared understanding in co-design projects. Design Studies, 29(4), 2008. p. 369-386.

LUCK, R.; MCDONELL, J. Architect andu ser interaction: the spoken representation of form and functional meaning in early design conversations. Design Studies, 27(2), 2006. p. 141-166.

MCDONNELL, J. Accommodating disagreement: a study of effective design collaboration. Design Studies, 33(1), 2012. p. 44-63.

MCNEILL, D. So you think gestures are nonverbal! Reply to Feyereisen. Psychological Review, v. 94, n. 4, p. 499-504, 1987.

MEHRABIAN, Albert. Silent Messages. Belmont: Wadsworth Publishing Company, 1971.

OAK, Arlene. What can talk tell us about design? Analyzing conversation to understand practice. Design Studies, 32(3), 2011. p. 211-234.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E., C. de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2a ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

RAHMAN, N.; CHENG, R.; BAYERL, P. S. Synchronous versus asynchronous manipulation of 2D-objects in distributed design collaborations: implications for the support of distributed team processes. Design Studies, 34(3), 2013. p. 406-431.

SCARIOT, C. A.; HEEMANN, A.; PADOVANI, S. Understanding the collaborative-participatory design. Work, 41, 2012. p. 2701-2705.

VENDRAMINI, L. C. A comunicação não verbal no design colaborativo: um estudo de caso sobre a atividade de cocriação no desenvolvimento de produtos de linha branca. 2016. 313 f. Dissertação (Mestrado em Design) – Pós Graduação em Design, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

VISSER, W. The function of gesture in an architectural design meeting. In About: Designing: analyzing design meetings. London: Taylor & Francis, 2009.

WANG, X.; LOVE, P. E. D.; KIM, M. J.; WANG, W. Mutual awareness in collaborative design: an augmented reality integrated telepresence system. Computers in Industry, 6, 2014. p. 314-324.

WEIL, Pierre; TOMPAKOW, Roland. O corpo fala: a linguagem silenciosa da comunicação não-verbal. São Paulo: Vozes, 1986.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.