Design para a Sustentabilidade Ampla de Sistemas Produto- Serviço: Estudo de Caso de Empresa de Design de Acessórios de Moda em Couro

Débora Maria de Macedo Quaresma, Heloisa Tavares de Moura

Resumo


O presente artigo apresenta um estudo de caso de uma empresa de design de moda, cujos produtos são acessórios feitos de sobras de couro do setor calçadista da Região do Vale dos Sinos, no Rio Grande do Sul. Logo, objetiva a sistematização de abordagens projetuais do design para as sustentabilidades, integrando as esferas ambiental, social e econômica, além de desenvolver intervenções nos ciclos de vida dos sistemas produto-serviço envolvidos no setor da moda. A metodologia utilizada teve natureza predominantemente qualitativa, combinando revisão bibliográfica, entrevista semiestruturada e workshop de cocriação. Como desdobramento, os dados coletados foram analisados de acordo com a teoria fundamentada nos dados, a partir dos quais emergiram critérios norteadores para design. Por fim, foram propostos cenários e alternativas para a empresa progredir no contínuo da sustentabilidade, em direção a uma atuação mais correta ecologicamente, inclusiva socialmente e viável economicamente.

Palavras-chave


Design de moda, Sustentabilidade ampla, Acessórios de couro.

Texto completo:

PDF

Referências


ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Norma técnica ISO/TR 14062, de 31 de maio de 2004. Gestão ambiental: Integração de aspectos ambientais no projeto e desenvolvimento do produto, Catálogo ABNT, São Paulo, 2004, 26 p.

AGYEMAN, J.; BULLARD, R.D.; EVANS, B. (Eds.) Just sustainabilities: development in an unequal world. The MIT Press, Cambridge, MA, 2003.

AMARAL, A. P. ET AL. Produção mais limpa no processamento do couro. Porto Alegre: Vacum, 2003.

AZEVEDO, P.Z.; GIULIANO, C.P.; MOURA, H.T. Traçando relações: Moda, sustentabilidade e consumo conciente. 10º Colóquio de Moda, 7ª Edição Internacional, 2014.

BERLIM, L.G. Moda, a possibilidade da leveza sustentável: Tendências, surgimento de mercados justos e criadores responsáveis. Dissertação (Mestrado) – Programa de Mestrado Stricto Sensu em Ciência Ambiental, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2009. 145 p. . Moda e sustentabilidade: Uma reflexão necessária. 1a Ed. Estação das Letras e Cores, 2012.

BRASIL, Lei no 4.888, de 09 de dezembro de 1965. Proíbe o emprego da palavra couro em produtos industrializados, e dá outras providências. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, v. 07, 13 dez. 1965. Seção 1, p.12.753.

BRINSMEAD, T. F.; HOOKER, C. Sustainabilities: A systematic framework and comparative analysis. Research Report 53, CCSD, The University of Newcastle, UK, July 2005.

BROWN, T. Change by design: how design thinking transforms organizations and inspires innovation. New York: HarperCollins Publishers, 2009.

BURKHARDT, H. On Strategic Design: Journal of the International Society for Design and Development in Education. 2009.

CASTRO, M. L. A. C. DE; CARDOSO, J. Estratégia e design: construção das abordagens contemporâneas. In: Strategic Design Research Journal, 3(3): 69-75, setembro-dezembro, 2010.

CHARMAZ, K. Grounded theory. In: Smith J.A., Harré R, Van Lagenhove N. (Ed.s) Rethinking methods in psychology. London: Sage Publications, 1995, 27-45.

CIPOLLA, C.; MOURA, H. Social innovation in Brazil through design strategy. Design Management Journal, 2012, 40-51.

COBRA, M. Marketing e moda. São Paulo: Editora SENAC, 2007.

COSTA, A.C.R.; ROCHA, E.R.P. Panorama da cadeia produtiva textile e de confecções e a questão da Inovação. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 29, p. 159-2002, março, 2009.

COUTO FILHO, C. O couro: história e processos. São Paulo: Editora UFC, 1999.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3a Ed. Porto Alegre: Artmed/Bookman, 2010.

EC, EUROPEAN COMMISSION. Design as a driver of user-centred innovation. Commision Saff Working Document, SEC (2009) 501 final. Bruxelas, 07 de abril, 2009.

FIGUEIREDO, M. J. Plano nacional de prevenção dos resíduos industriais. Lisboa: PNAPRI, 2000.

FLETCHER, K.; GROSE, L. Moda & Sustentabilidade: Prólogo de Paul Hawken. São Paulo: SENAC, 2011. 192 p.

FUAD-LUKE, A. Eco design: The sourcebook. USA: Chronicle Books, 2002.

GLASER, B.G.; STRAUSS, A.L. Discovery of grounded theory: Strategies for qualitative researchy. Chicago: Aldine, 1967.

HOINACKI, E.; KIEFER, C.G.; MOREIRA, M.V. Manual básico de processamento do couro. Porto Alegre: SENAI-RS, 1994, 402 p.

KAZAZIAN, T. (org). Haverá a idade das coisas leves: Design e desenvolvimento sustentável, 2ª. Ed., São Paulo: SENAC, 2005.

A. P. Towards sustainable future by transition to the next level civilisation. Proceedings of “The Future of Life and the Future of Our Civilisation” Symposium, Frankfurt, 2–6 May 2005. Disponível em:

. Acesso em: 15 mar. 2015.

KLUGE, Contribuição ao estudo do aproveitamento de resíduos de couro: Uma abordagem holística do ecodesign focado em calçados infantis. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Design, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009. 140 p.

LEACH, M., SCOONES, I., STIRLING, A. Dynamic Sustainabilities, Technology, Environment, Social Justice. Pathways to Sustainability Series . Taylor & Francis Group, 2010.

LEAL, O.B.R. Análise técnica, econômica e de tendências da indústria do couro brasileira e da sua relação com a indústria química. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos, UFRJ, Rio de Janeiro, 2007. 175 p.

LEITE, P.R. Logística reversa: Meio ambiente e competitividade. 2ª Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

LIPOVETSKY, G. O império do efêmero. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

MALUF, M. L. F.; HILBIG, C.C. Curtimento Ecológico de Peles de Animais para Agregação de Valor através da Confecção de Artesanato. In: Revista Varia Scientia, v.9, n.15, p. 75-79, 2010.

MANZINI, E. Enabling solutions: Social innovation, creative communities and strategic design. Dis-Indaco: Politecnico di Milano, 2005.

. Design para a inovação social e sustentabilidade: Comunidades criativas, organizações colaborativas e novas redes projetuais. Rio de Janeiro: E-papers,

MANZINI, E., VEZZOLI, C. Product-service systems and sustainability. Opportunities for sustainable solutions. Paris: UNEP Publisher, 2002.

. O desenvolvimento de produtos sustentáveis: Os requisitos ambientais dos produtos industriais. São Paulo: EDUSP, 1a edição, 2005.

. (2008) O desenvolvimento de produtos sustentáveis: Os requisitos ambientais dos produtos industriais. São Paulo: EDUSP, 3a edição, 2008.

MAXWELL, D.; VORST, R. VAN DER. Developing sustainable products and services. In: Journal of Cleaner Production, v. 11, n. 08, dezembro de 2003, pp. 883-895, Elsevier Science.

MCQUILLAN, H. Zero waste design practice: Strategies and risk taking for garment design. In:GWILT, Alison; RISSANEN, Timo (Org.). Shaping sustainable fashion: Changing the way we make and use clothes. Londres: Earthscan, 2011.

MMA, MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Lei no 12.305, de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, 03 ago. 2010. Seção 3, p.62.

MUSEU DA ILHA PINTADA. Projeto Art’Escama, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2014.

MOREIRA, M.V.; TEIXEIRA, R.C. Estado da arte tecnológico em processamento do couro. Porto Alegre: SENAI, 2003.

MOURA, H. Design e gestão estratégica da inovação no Brasil. Anais do 9º P&D, Congresso Brasileiro de Pesquisa e Design, São Paulo, 2010.

. Memória técnica da Conferência das Nações Unidas sobre o desenvolvimento sustentável: Rio+20. Rio de Janeiro: Governo do Estado do Rio de Janeiro, 2013, 30 p.

MOZOTA, B. B. Design management: Using design to build brand value and corporate innovation. New York: Allworth Press: 2004.

MURRAY, Robin. Zero waste. Londres, UK: Greenpeace Environmental Trust, 2002. Disponível em: Acesso em: 21 mai. 2015.

OSTERWALDER, A.; PIGNEUR, Y. Business model generation: A handbook for visionaries. Hoboken: John Wiley & Sons, 2010.

PACHECO, J.W.F. Curtumes. Série P+L. São Paulo: CETESB, 2005.

PAPANEK, V. Design for the real world. Chicago: Academy Publishers, 1a edição, 1992.

. Design for the real world. Chicago: Academy Publishers, 2a ed. 2005.

PEROBA, A. R. Design Social um caminho para o designer de moda? Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Design, Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, 2008, 103 p.

PRAHALAD, C.K., RAMASWAMY, V. Co-creation Experiences: The Next Practice in Value Creation. Journal of Interactive Marketing, 2004.

QUARESMA, D.M.M. Design para a sustentabilidade ampla de sistemas produto-serviço: Estudo de caso de empresa de acessórios de moda. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós- graduação em Design, Uniritter Laureate International Universities, Porto Alegre, 2015, 147 p.

QUARESMA, D.M.M. Etnodesign e Inclusão Social: um olhar sobre experiências em design de artesãs da ilha da pintada. UniRitter em Seminário de Pesquisa e Extensão da Universidade Ritter dos Reis. Porto Alegre, 2013.

REYES, P.; BORBA, G. Design estratégico aplicado ao território. Anais do Congresso Internacional de Pesquisa em Design. Centro Cultural Federal. Rio de Janeiro, 2007.

RODRIGUES, C.; LAURSEN, S. ; ALLWOOD, J. Well dressed? The present and the future sustainability of clothing and textiles in the UK. University of Cambridge, p. 9-14, 2006.

ROWE, P.G. Design thinking. Massachussetts: MIT Press, 1987.

SACHS, I. Desenvolvimento sustentável: desafio do século XXI. In: Ambient, v.7, n.2, Jul/Dez. 2004.

SENAI, RS. Implementação de programas de produção mais limpa. Porto Alegre: Centro Nacional de Tecnologias Limpas, 2003.

SERVOLO FILHO, H.J. Avaliação da resistência à tração de couro vegetal de tecido de algodão impregnado com látex. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Agricultura, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. 153 p.

SCALETSKY, C.C. Pesquisa Aplicada/ Pesquisa Acadêmica. O caso Sander. 2008

SOUZA, P. F. de A. Sustentabilidade e responsabilidade social no design do produto: rumo a definição de indicadores. 2007. 294 f. Tese (Doutorado) – FAU/USP, 2007.

SPANGENBERG, 2002. Sustainability science: Which science and technology for sustainable development?’’ nternational Network of Engineers and Scientists for Global esponsibility, INES Newsletter, v. 38, p. 9-14.

UCHOA, D. Insecta Shoes. Jornal do Comércio, Porto Alegre, 22/04/2015, Painel Econômico, p. 16.

UFRGS, Laboratório de Design e Seleção de Materiais. CD- ROM Ecodesign. Porto Alegre, 2004.

UNEP, UNITED NATIONS ENVIRONMENT PROGRAMME. Design for sustainability: A Practical Approach for Developing Economies, 2006. Disponível em: . Acesso em: 29 set. 2014.

VEZZOLI, C. Cenário de design para moda sustentável. Tradução Kathia Castilho. In: PIRES, Baduy Dorotéia (Org.), Design de moda: Olhares diversos. 1ª Ed., São Paulo: Estação das Letras, 2008.

VEZZOLI, C.; MANZINI, E. Design for Environmental Sustainability. Londres: Springer, 2008.

VIEIRA, K. N.; SOARES, T. O. R.; SOARES, L. R. A logística reversa do lixo tecnológico: Um estudo sobre o projeto de coleta de lâmpadas, pilhas e baterias da Braskem. In: Rgsa – Revista de Gestão Social e Ambiental, São Paulo, v. 3, p.120-136, 01 set., 2009.

WIMMER, W., LEE, K. M.; QUELLA, F.; POLAK, J. Ecodesign : The competitive advantage. Alliance for Global Sustainability Bookseries, Dordrecht: Springer Science+Business, 2010.

WHITELEY, N. O designer valorizado. Arcos, v.1 n. 1. Contracapa, 1998, p. 63-75, 1998.




DOI: https://doi.org/10.35522/eed.v24i2.345

Apontamentos

  • Não há apontamentos.