Design Emocional e Semiótica: caminhos para obter respostas emocionais dos usuários

Shirley Gomes Queiroz, Cristina Luz Cardoso, Leila Amaral Gontijo

Resumo


Esse artigo faz uma revisão teórica sobre Design Emocional e Semiótica, no intuito de demonstrar a complementaridade das áreas e os benefícios que podem trazer, quando utilizadas em conjunto, nas pesquisas voltadas para obtenção das respostas emocionais dos usuários em relação aos produtos, a partir dos seus atributos de linguagem.

Palavras-chave


Design Emocional, Semiótica, Design de produto

Texto completo:

PDF

Referências


BAUDRILLARD, Jean. O Sistema dos Objetos. São Paulo: Perspectiva, 1993.

BAXTER, Mike. Projeto de Produto. São Paulo: Edgard Blücher, 1998.

BONAPACE, Lina. Linking product properties to pleasure: the sensorial quality assessment method – SEQUAM (Capítulo 15). In: GREEN, W e JORDAN, P. Pleasure with Products: beyond usability. Londres: Taylor and Francis, 2002.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

BÜRDEK, Bernhard E. História, teoria e prática do design de produtos. São Paulo:Edgard Blucher, 2006.

DESMET, Pieter. Designing Emotions. Technische Universiteit Delft, 2002.

DUFRENE, Mikel. Arte e Filosofia. São Paulo: Perspectiva, 1998.

ECO, Umberto. A Estrutura Ausente. São Paulo: Perspectiva, 2005.

ESPINOZA, Francine da Silveira; ZILLES, Fernanda Pagliarini. A geração de afeto negativo e sua influência na intenção de retorno do consumidor: RAC – Eletrônica. V.1, n. 3, art. 5: p. 69-85, 2007.

FIDALGO, António. Da Semiótica e seu Objecto. In: Biblioteca on-line de ciências da comunicação, 1998.

http://www.bocc.ubi.pt/

GREEN, William S. e JORDAN, Patrick, W., Pleasure with Products: Beyond Usability. London: Taylor & Francis, 2002.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

IIDA, Itiro. O bom e o Bonito em Design. In: 7º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design, 2006, Curitiba. Anais do 7º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design, 2006.

KRIPPENDORFF, K. On the Essential Contexts of Artefacts or on the Proposition that Design is Making Sense (of Things), in Margolin, V. and Buchanan, R. (eds) The Idea of Design, London: The MIT Press, 156-184.

LÖBACH, Bernd. Design Industrial. São Paulo: Edgard Blucher, 2000.

MEDEIROS, Wellington Gomes de. Meaningful interaction of male users with product shapes. In: SeFun International Seminar, 6th Nordcode Seminar & Workshop, 2007, Helsinki, Finland. Proceedings of SeFun International Seminar, 6th Nordcode Seminar & Workshop, 2007.

MOLES, Abraham A. Teoria dos Objetos. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro, 1981.

_________________. O Kitsch. São Paulo: Perspectiva, 1994.

NIEMEYER, Elementos de semiótica aplicados ao design. Rio de Janeiro: 2AB, 2007 (2a edição).

NORMAN, Donald A. Emotional Design. New York: Basic Books, 2004.

NÖTH, Winfred. Panorama da semiótica: de Platão a Peirce. São Paulo: ANNABLUME, 1995.

PIGNATARI, Décio. Informação Linguagem Comunicação. São Paulo: Cultrix, 1976.

________________. Semiótica e Literatura. São Paulo: Ateliê Editorial, 2004.

SANTAELLA, Lúcia. O que é semiótica. São Paulo: Brasiliense, 1983.

SARDELICH, Maria Emília. Leitura visual de imagens, cultura visual e prática educativa. In: Cadernos de pesquisa, v. 36, n.128, maio/ago, 2006.

VÁZQUEZ, Adolfo S. Convite à Estética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.




DOI: https://doi.org/10.35522/eed.v17i1.32

Apontamentos

  • Não há apontamentos.