Teoria da atividade e affordances como framework para a abordagem da experiência do usuário

Genilda Oliveira de Araujo, Lizandra Garcia Lupi Vergara

Resumo


Apesar da experiência do usuário (UX) ser um conceito amplamente difundido, alguns autores defendem que ainda falta um desenvolvimento conceitual e teórico que sirva de base para a sua abordagem. Neste contexto, o presente artigo tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento da pesquisa em design aplicando a teoria da atividade e a teoria de affordances como framework para o tratamento da UX. Como ponto de partida, é conceituada a experiência do usuário, identificando-se seus principais constituintes. A seguir, são apresentados conceitos da teoria da atividade e da teoria de affordances, buscando-se relacioná-los aos componentes da experiência. Como resultado, é apresentado um modelo que estrutura hierarquicamente os aspectos sensório-motor, cognitivo e afetivo da experiência, estabelecendo três níveis de engajamento com a atividade e com o artefato usado em sua mediação. A relevância deste modelo consiste em tornar explícitas as relações entre estes aspectos, permitindo sua exploração por meio de ferramentas e métodos de design.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.